Em formação

Música e seu filho pequeno ou pré-escolar (de 1 a 3 anos)

Música e seu filho pequeno ou pré-escolar (de 1 a 3 anos)

Como ouvir música pode beneficiar meu filho?

Crianças e pré-escolares têm muito a ganhar ouvindo música. É divertido, por um lado, e também incentiva o movimento, o que é importante para crianças pequenas que estão aperfeiçoando suas habilidades motoras. "As crianças aprendem por meio do movimento", diz Rosalie Pratt, professora de medicina musical na Brigham Young University. "Quando você os vê brincando, eles não estão falando, estão se movendo. É assim que eles pegam as coisas."

A música também ajuda você a se relacionar com seu filho. Isso o levará a dançar um gabarito ou entoar uma música, para a emoção de seu filho. Imagine a alegria que você vai compartilhar balançando ao som de uma melodia adorável (experimente "You Are the Sunshine of My Life" de Stevie Wonder). Ou o quanto ele vai se divertir pulando com você em um enérgico número musical ("The Chicken Dance" vai te deixar rolando no chão de tanto rir).

Alguns especialistas vão mais longe e dizem que a exposição à música torna as crianças mais inteligentes, mas quase não existem dados para validar esse ponto. "A ciência está em sua infância", diz Gordon Shaw, professor de física e neurocientista que estuda música e desenvolvimento do cérebro na Universidade da Califórnia em Irvine.

É um tipo de música melhor para meu filho?

Deixe seu filho ouvir o que ele quiser, diz Pratt. Experimente suas favoritas, ou música clássica (o velho standby), ou apimente as coisas com melodias brasileiras ou africanas. Qualquer coisa com uma boa melodia serve, embora músicas lentas possam funcionar melhor para a hora de dormir e músicas rápidas para brincar. De manhã, toque música clássica (escolha algo agradável e alegre, como um concerto para piano de Chopin ou "As Quatro Estações" de Vivaldi) para que ele acorde leve e animado.

As crianças mais velhas também podem gostar de uma música com uma narrativa que eles possam seguir, como "Havia uma velha senhora que engoliu uma mosca" ou "Miss Mary Mack". Incentive seu filho pequeno ou pré-escolar a se mover ao som da música e expressar suas emoções.

Quando se trata de tocar músicas para seus filhos, pense de forma alegre e simples. Você pode querer ficar longe de rock agitado, música grunge ou rap. Estudos com animais mostram que a exposição constante a música caótica e discordante altera a estrutura do cérebro, diz Pratt. Até as plantas parecem abominar esse tipo de música, ela argumenta. Ivy crescendo em uma casa onde a música clássica era tocada o dia todo floresceu melhor do que em casas onde os ocupantes tocavam rock pesado.

Suas seleções musicais também não precisam ser gravadas. Comece uma música de vez em quando. Músicas de torcer a língua, como "The Name Game" ("Nina, Nina, bo-bina, banana, fana, fofina, mee-mi-momina, Nina) são divertidas. Aprenda cantigas inteiras em família e cante-as viagens de carro ou em dias sombrios quando você está preso em casa.

Aprender a tocar um instrumento pode beneficiar meu filho?

Sim, se ele tiver pelo menos 3 anos. É quando seus circuitos cerebrais para treinamento musical começam a amadurecer. E estudos sugerem que as aulas de música podem aumentar a capacidade cerebral. Um estudo da Universidade da Califórnia em Irvine mostra que crianças de 3 e 4 anos que tiveram aulas de piano tiveram melhor desempenho em testes que mediram seu raciocínio espaço-temporal (capacidade de pensar no espaço e no tempo) do que aquelas que não fizeram.

O autor do estudo, Gordon Shaw, diz que essas crianças podem aprender problemas matemáticos complexos mais cedo do que outras que não tiveram nenhum treinamento musical. O piano é um bom instrumento para começar, acrescenta ele, porque as crianças não precisam dominar nenhum dedilhado especial, como fariam com um violão, violino ou outro instrumento de cordas. Além disso, a progressão linear das teclas ajuda a tornar o conceito de escalas musicais concreto.

Ainda outro estudo sugere que as aulas de música aguçam a mente, mas olhou apenas para crianças mais velhas. Cientistas da Universidade Chinesa de Hong Kong, cuja pesquisa foi publicada na revista Nature em 1998, dizem que crianças que têm pelo menos seis anos de aulas de música antes dos 12 anos aprendem mais palavras do que aquelas que não têm. Os pesquisadores lêem listas de 16 palavras três vezes para 60 meninas. Aqueles que estudaram música por seis anos lembraram-se de mais palavras do que aqueles que não estudaram. Martin Gardiner, da Escola de Música de Providence, Rhode Island, examinou o efeito das aulas de música e arte em um grupo de crianças de 5 a 7 anos que foram consideradas "de baixo desempenho". De acordo com a revista The Economist, depois de sete meses de aulas, eles foram testados em leitura, escrita e matemática e descobriram que alcançaram seus colegas em leitura e escrita, e os superaram em matemática.

Elizabeth Brice, uma mãe de São Francisco, matriculou sua filha de 3 anos, Natalie, em uma aula de arte e movimento (que incentiva as crianças a dançarem ao som da música e depois mergulharem em um projeto de arte). “Eu queria expô-la à música e à arte em uma idade jovem, para que ela pudesse incorporá-las a tudo o que aprender”, explica Brice. "A aula estimula a criatividade e abre sua mente." Também deu a Natalie o amor pela música e pelas artes. Desde então, ela frequentou duas aulas de arte e movimento e dois outros programas de música.

O resultado final

Deixe a música ser parte integrante da vida do seu filho, mas não faça da sua missão moldar um gênio musical. Crianças prodígios como Mozart, que escreveu sua primeira sinfonia aos 8 anos, são raros. Mas se você oferecer a seu filho a chance de mergulhar no mundo da música (especialmente se você variar as seleções), ele provavelmente crescerá e será o tipo de pessoa que aprecia todos os tipos de música. Incentive-o a pegar um instrumento musical, mas não force. “É como ter uma bela impressão de Matisse pendurada em um lugar de destaque em sua casa”, diz Pratt. Você não força a criança a olhar para ela todos os dias, mas está lá para ela aproveitar. É um processo de enriquecimento. “A presença da música é o que importa”, acrescenta.

Quando você expõe seu filho à cultura, ele adquire o gosto pelas coisas da vida que vão alimentar sua alma. A música faz exatamente isso. Como disse Shakespeare: "Se a música é o alimento do amor, continue tocando".

Assista o vídeo: Léo o caminhão curioso. Coleção de canções infantis. Desenhos animados de carros. (Novembro 2020).